Presenteie com música neste Natal; lojinha do Music Non Stop tem de livros incríveis a objetos lindinhos pra quem curte música

Claudia Assef
Por Claudia Assef

Então é natal, já diria Simone. Vai comprar uma lembrancinha pra quem você mais ama e não o que dar sem gastar muito? Nós temos a solução rs.

Antes de falarmos dos produtos da nossa loja, um rápido disclaimer. O Music Non Stop é um site totalmente independente, feito na raça por gente que ama música de uma forma quase irresponsável financeiramente. Portanto, ao comprar um dos nossos produtos, você está automaticamente financiando a nossa subsistência. Obrigada.

paula-cohen-camiseta-music

A atriz Paula Cohen sabe das coisas e já comprou a dela

Pra quem é realmente fã, a dica é comprar a nossa já clássica camiseta estonada Music Non Stop – Dance Or Leave. Quem te vir com esta t-shirt na pista de dança ou num festival já vai entender tudo. Custa R$ 45 mangos + o valor da entrega, pra comprar agora é só clicar aqui. Se você curte a clássica camiseta preta, também temos. Pra comprar esta, clica aqui.

erica-alves-camiseta-leve

A produtora Érica Alves tá de boa com a camiseta preta Music Non Stop

Com a mesma assinatura, você pode comprar a caneca preta que vai deixar claro, no trabalho ou em casa, que você é o boss. Custa R$ 35 conto + frete e você pode dar de presente praquela pessoa que você sabe que vai curtir desfilar como fã de música boa. Clique djá pra tomar a sua bebida com garbo e elegância.

caneca-music-non-stop

Por aqui a gente incentiva e muito a leitura naquele formato imortalizado por gente como Jack Kerouac e Machado de Assis (favoritos da casa) chamado livro. Nosso curador (adoramos essa palavra mesmo que ela seja empregada de uma forma um tanto besta) Daniel Cozta (aquele moço do Lacozta) buscou uma seleção de títulos que são um deleite pra apreciadores de boa música. Vamos à lista.

SABOTAGE – UM BOM LUGAR

sabotage2

Escrita por Toni C., trata-se da biografia oficial do rapper Sabotage, com prefácio de Paulo Miklos, com quem ele atuou no filme O Invasor, de Beto Brant. Em sua incursão pelo cinema, ele também brilhou no filme Carandiru, de Hector Babenco. Mas, antes do auge, Sabotage era o Maurinho do Canão, sobrenome que emprestou da favela onde nasceu, encravada no Brooklin, em São Paulo. O disco Rap é Compromisso, de 2001, é um dos mais influentes e respeitados pela novíssima cena do hip hop. Um Bom Lugar é a primeira biografia definitiva de um rapper brasileiro, lançado dez anos após seu assassinato. O livro nos mostra que Sabotage continua atual como a frase-síntese de sua obra: “rap é compromisso, não é viagem!”. Custa R$ 30, clique aqui pra comprar.

HIP HOP – O RAP ESTÁ MORTO

hiphop

Este é um livro de ficção com drama verdadeiro. Neste romance de estreia de Toni C., o leitor terá contato de maneira quase autobiográfica com o hip hop. A obra cumpre a tarefa de levar a história do movimento hip hop no Brasil e suas influências internacionais ao público em geral. O texto traz elementos adicionais até para os mais aficionados. Mas também é um guia introdutório para quem quer descobrir mais sobre esta cultura. Nesta segunda edição você terá um capítulo inédito que trata da relação do rap com o funk. Custa R$ 25, clique aqui pra comprar.

AURÉLIA – A DICIONÁRIA DA LÍNGUA AFIADA

473232_aurelia-a-dicionaria-da-lingua-afiada-673587_z3

Nosso xodó. O livro foi escrito pelo nosso muito saudoso jornalista e ativista gay Vitor Angelo em parceria com Fred Libi. Com alusão ao famoso Aurélio, de Aurélio Buarque de Holanda, o dicionário traz 1.300 verbetes usadas pelo universo gay. O livro é um compêndio de verbetes do pajubá, que é o dialeto das beeshas, criado pelas travestis com o objetivo de se comunicarem sem que os alibãs as compreendessem. Entendeu? Não? Então compra o livro, mona. PS. A receita da venda do Aurélia será repassada a instituições voltadas à comunidade LGBT por intermédio do jornalista Ivi Brasil, amigo muito próximo do Vitor e que cuida de seu legado. Custa R$ 35, clique aqui pra comprar.

B.O. 

BO-livro

Você frequentou a Torre do Dr. Zero, mais especificamente a festa Debut!, as quintas da Torre que entraram pra história do underground paulistano, num é? Não há melhor forma de aplacar essa saudade do que se jogar nas páginas deste belíssimo livro de fotos clicadas pelo talentoso Paulo Batalha. Figuras da noite, que foi criada pelos DJs Bispo e Adriano Costa, estão vivas nas páginas deste livro, que deveria ser obrigatório para qualquer pessoa que já tenha frequentado o undeground de São Paulo no começo dos loucos anos 2000. Custa R$ 98, clique aqui pra comprar.

TRAGAM OS CAVALOS DANÇANTES – A HISTÓRIA DO GRIND

cavalos

O livro atira no colo do leitor um punhado de polaróides, sem retoques nem photoshop, de um universo estranho, bizarro, assustador, ou simplesmente divertido, hedonista e ingênuo, dependendo de quem o observa. Através de depoimentos reveladores e surpreendentes, vem à tona os bastidores do Grind – a matinê que coloca em ebulição a casa noturna paulistana A Lôca nas noites de domingo. Escrito por Lufe Steffen. Custa R$ 30, clique aqui pra comprar.

NELSON TRIUNFO – DO SERTÃO AO HIP HOP

triunfo

Nelson Triunfo – Do Sertão ao Hip-Hop é a biografia de Nelson Campos Filho, simplesmente o ‘pai do hip hop brasileiro’. Dançarino, coreógrafo, músico, ator e pioneiro no uso da cultura hip hop como instrumento de educação alternativa. Nelson é um sujeito que carrega o nome da pequena cidade pernambucana onde nasceu tatuado na pele e o adotou como nome artístico, assim Nelsinho, Nelsão, Homem-Árvore, Black Bahia, Break (…) se consagrou nos palcos como Nelson Triunfo, fundou seu primeiro grupo de dança black em outubro de 1972, na Bahia, e se tornou notório no auge dos memoráveis bailes e shows de funk e soul dos anos 1970, com o grupo Funk & CIa, já residindo em São Paulo. Nos anos 1980, levou a dança breaking (‘break’) para as ruas e se tornou um dos pilares do hip hop tupiniquim. Custa R$ 35, clique aqui pra comprar.

PORTA-LÁPIS VHS TAPES

beat1

 

Não é apenas um porta-lápis, é um statement. Tipo é dos cacarecos mais legais que já criaram. Tinha que ter saído da cabeça de um DJ, né? O eclético Frank Honma, criador do forte candidato a melhor nome de festa do mundo (Biscate Não Sente Frio), resolveu juntar sua paixão pela música com design. Assim nasceram essas belezinhas, caixas de fitas cassete com as artes originais da capa, grudadas de forma que, voilá, nascem os porta-lápis mais legais do mundo. É original do Brasil, minha gente, e custa só R$ 40. São vários modelos, clique aqui pra comprar.

VINIL SIMPATICONA DA BOATE

simpaticona

Quando o L_cio e o Daniel Cozta se juntaram pra produzir música, nem imaginavam que o Lacozta ia virar uma lenda da noite com a track Simpaticona da Boate. A música ganhou letra num chillout (onde mais?) pós-Sónar em São Paulo, de uma piração das mentes desta que vos escreve em parceria com o jornalista Vitor Angelo (in memoriam). A letra ficou tão da hora (non sense total) que eu mesma quis gravar o vocal. Pedimos remixes para amigos e dois deles (o do Anderson Noise e o do Mau Mau & Franco Junior) estão neste vinil, que foi financiado via Catarse e prensado na gigantesca GZ, na República Tcheca. Há pouquíssimas cópias. E, não ligue ainda, se você comprar leva também o remix disco music finérrimo que o DJ Marky fez. Custa R$ 50. Clique aqui pra comprar.

× Curta Music Non Stop no Facebook